terça-feira, 22 de junho de 2010

SOLDADO FERIDO


A História de um Soldado ...

Esta história é sobre um soldado que finalmente estava voltando para casa depois de ter lutado no Vietnã. Ele ligou para seus pais em São Francisco e disse: Mãe, pai, eu estou voltando para casa, mas eu tenho um favor a pedir: gostaria de levar um amigo comigo.

- Claro! Nós adoraremos conhecê-lo!!!
- Há algo que vocês precisam saber. Ele foi terrivelmente ferido na luta, pisou em uma mina e perdeu um braço e uma perna. Ele não tem nenhum lugar para ir, eu quero que ele vá morar conosco.

- Eu sinto muito em ouvir isso filho, nós talvez possamos ajudá-lo a encontrar um lugar para ele morar.
- Não, mamãe e papai, eu quero que ele more conosco.
- Filho, você não sabe o que está pedindo! Alguém com tanta dificuldade não seria bom para nós. Nós temos nossas próprias vidas e não podemos deixar que uma coisa assim interfira em nosso modo de viver. Acho que você deveria voltar para casa e esquecer este rapaz. Ele encontrará uma maneira de viver por si mesmo.

Neste momento o filho desligou o telefone. Os pais não ouviram mais nenhuma palavra dele. Alguns dias depois, no entanto, eles receberam um telefonema da polícia. O filho deles havia morrido depois de ter caído de um prédio. A polícia acreditava em suicídio. Os pais, angustiados, voaram para o local e foram levados para o necrotério a fim de identificar o corpo do filho. Eles o reconheceram, mas para o horror deles, descobriram que o filho tinha apenas um braço e uma perna.
Não sei em que personagem nós nos enquadramos melhor hoje.
Talvez representemos os pais desse soldado ferido, pois é fácil amar pessoas bonitas, de boa aparência, pessoas saudáveis e que são divertidas, ao passo que pessoas que nos dão trabalho são facilmente descartadas da nossa lista de amizades.
Precisamos aceitar as pessoas como elas são, sem nos importar com o que a amizade dela possa nos oferecer, e compreender aquelas que são diferentes de nós.
Talvez nós nos identifiquemos melhor com o "soldado ferido", não apresentamos as nossas feridas nem as nossas debilidades, estamos feridos, mas primeiro queremos ver como as pessoas mais próximas irão encarar a realidade da nossa deficiência, quer seja ela física ou emocional.
Que venhamos aprender a compreender e a aceitar o nosso próximo como ele é.
O amor é o dom mais sublime:
1 Coríntios 13 v 7 (tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta).
Portanto:
Ame! Mesmo sendo rejeitado.
Ame! Mesmo desacreditado.
Ame! Mesmo sem esperança de ser amado,
Jesus Cristo, nosso exemplo maior de AMOR!!
Marcos Capaz

2 comentários:

Jokinha disse...

éhh mozim..o amor genuino por nossos semelhantes tem sido um alvo cada vez mais dificil de ser alcançado.
Amar como Jesus amou, é algo quase inatingivel nos dias de hoje e isso inclui nós cristãos que infelizmente estamos tao ocupados com as nossas proprias vidas...que esquecemos da nossa missao principal aqui neste mundo, que é levar ser um canal pra que salvação alcance essas vidas...e isso só é possivel se tivermos um amor como o do Mestre...

Josué Nogueira disse...

A paz
meu irmão

Belo texto

no fim tudo se resume no amor...

TRANSLATOR !!

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog